Escola Acy Barros promove Feira de Ciências, Arte e Cultura

253

Estimular o interesse pela ciência, empreendedorismo, instigar a curiosidade, além de despertar talentos natos. Estes foram os principais objetivos que moveram a Feira de Ciências, Cultura e Artes da Escola “Acy Barros”, que fica na Agrópolis do Incra, Bairro Amapá. O evento desta feita, começou ontem, quinta-feira, dia 16, e finaliza hoje, 17, sexta-feira. A exposição aconteceu em tendas montadas ao ar livre, em frente ao colégio.  A feira conta também com a parte cultural, despertando talentos na música, dança e com concursos de mister e miss Acy Barros, envolvendo todo alunado, do Ensino Fundamental e Médio.

A chuva que caiu sobre o dia inteiro na quinta-feira (16), não desanimou os estudantes que expuseram temas de toda sorte, como experiências químicas com ácido espumante, gravidez na adolescência, depressão, folclore, carvão ativado, jogo de xadrez entre outros.

O diretor da instituição de ensino, mestre em Educação, Fábio Rogério Rodrigues Gomes, destacou que, os professores por ele orientados, deram um caráter experimental à feira. “ É importante fazer com que os alunos apresentem algo concreto para a comunidade, fugindo do caráter tradicional que explorava quase unicamente a oralidade. Devemos salientar a autonomia dos alunos,  viabilizando a interdisciplinaridade, e os envolvendo em experiências práticas, estas dinamizam as aulas”, explicou o diretor, informando o caráter pedagógico.

Gabrielle Janaína Barros de Menezes, professora de Matemática da rede pública municipal, encabeçou o projeto de Xadrez na Feira de Ciências, com a turma do 8°ano “A”, a fim de despertar o raciocínio lógico dos discentes, já que a matemática por anos e anos é vista como um dos gargalos na educação.

“O objetivo foi envolver a turma, para que eles tivessem mais disciplina, já que sabemos que na realidade temos alunos indisciplinados e com dificuldade para estudar. Usar jogos na matemática é mais interativo, a ideia era envolvê-los no xadrez pelos propósitos do próprio jogo de disciplina, desenvolvendo raciocínio lógico, habilidades estratégicas que servem para a vida deles, construção das peças do jogo, que foram confeccionadas pelos próprios alunos”, especificou a professora, a qual criou um grupo no facebook para orientá-los constantemente, além de enviar matérias para estudo.

A aluna Janaína Costa Ferreira, 17 anos, do 2° ano D do Ensino Médio, contou que a experiência da classe dela foi com bebida esfumaçante. “Chamou bastante atenção dos convidados [a experiência], a bebida serve como decoração de festas, por ser colorida e soltar fumaça. Todos queriam saber como confeccionar”, frisou a aluna que é destaque desde o 1° ano. Ela disse que, a turma queria mostrar que não é difícil aprender essa àrea da Física e da Química. “São coisas simples do nosso dia a dia. Foi maravilhoso ver as pessoas empenhadas em grupo, apesar dos contratempos”, complementou. Logo mais, a partir das 18 horas, inicia a parte cultural da feira, dando lugar para disputa de grupos musicais, danças, e concurso de mister e miss.

Colaboração: Emilly Coelho- freelancer

Quer deixar um comentário, preencha o formulário abaixo!

Please enter your comment!
Digite seu nome aqui