Festival celebra Dia do Atleta Paralímpico em Marabá

Rede municipal de educação tem mais de 1.100 alunos com deficiência matriculados e 35 salas de recursos especiais para atendê-los

20

Com o tema “Podemos ser o que quisermos”, o Festival Nacional do Atleta Paralímpico ocorreu pela primeira vez em Marabá. O evento foi idealizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e foi realizado paralelamente em 47 cidades brasileiras, para celebrar por todo o país o Dia Nacional do Atleta Paralímpico, que busca incentivar crianças e adolescentes deficientes a ingressarem no esporte.O festival foi realizado no Shopping Pátio Marabá na manhã do último sábado, dia 22, com a proposta de três modalidades: tênis de mesa, bocha e judô. Participaram 150 alunos matriculados na rede municipal e mais dez de um projeto educativo do Colégio Globo.

Arley Novaes de Oliveira Nascimento, coordenadora do Departamento de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação, explica que a SEMED ofereceu toda a logística para a realização do Festival em Marabá. Os professores Arionaldo Borges dos Reis, Luiza Crisóstomo e Antônio Sérgio (este último convidado de Parauapebas) desenvolveram atividades com os alunos durante a programação.

Ela revela que, atualmente, há 1.100 estudantes com deficiência que estudam na rede municipal de ensino, os quais são atendidos em 35 salas de recursos especiais espalhadas por escolas nos mais diversos núcleos urbanos. Quatro delas estão localizadas em escolas do campo. Além disso, a Secretaria Municipal de Educação conta com um CAP (Centro de Apoio Pedagógico) para cegos e pessoas com baixa visão e ainda o CAS (Centro de Atendimento à Pessoa com Surdez). “Este evento foi um ato de inclusão e não de competitividade. Nossa principal intenção é mobilizar não só os pais e profissionais, mas a sociedade como um todo, para que eles entendam que pessoas deficientes são capazes de praticar esportes e até de irem para as olimpíadas”.

Um dos maiores entusiastas do esporte paraolímpico em Marabá, o professor de Educação Física Arionaldo Borges dos Reis avalia que o desempenho de alguns atletas locais em competições estaduais e nacionais está em um nível bastante elogiável. “Conseguimos desenvolver um bom trabalho e os atletas que nos procuraram estão conseguindo um bom rendimento em natação, tênis de mesa e atletismo. Na natação, por exemplo, temos um recordista brasileiro no nado de peito, o que é um feito motivador para todos nós”, diz Arionaldo.

O professor explica que o Projeto Marabá Paralímpico funciona de segunda a sexta-feira no Colégio Alvorada, que cede a estrutura em parceria com a Prefeitura de Marabá e Governo do Estado. Às terças e quintas-feiras, também há turmas em atuação na sede da AABB (Associação Atlética Banco do Brasil). Às quartas-feiras, durante a manhã, há treinamentos na pista de atletismo da Estação Conhecimento, núcleo São Félix. “Estamos sempre motivado para trabalhar com portadores de necessidades especiais porque os desafios individuais dos alunos nos motivam a cada dia. Eles nos dão uma lição muito importante sobre o prazer de viver”, celebra.

Quer deixar um comentário, preencha o formulário abaixo!

Please enter your comment!
Digite seu nome aqui